Desafios da Liderança - Altomir Rangel

Atualizado: 7 de Set de 2020



Infelizmente, em todos os níveis e esferas da vida, todos testemunhamos sérios fracassos na liderança. Não é mais uma surpresa quando lemos sobre um pastor de alto nível, celebridade, figura esportiva ou político que foi desonrado por causa de falha ética ou moral.


Portanto, vou deixar aqui algumas valiosas observações a respeito dos SINAIS de ALERTA antes da queda - algo que ensino aos líderes para evitar erros comuns, muitas vezes imperceptíveis no trajeto.


É importante ressaltar que, todos nós falhamos, de uma certa maneira, o fracasso, especificamente em alguma área da vida, muitas vezes é inevitável, faz parte de um processo, mas ser derrotado para o resto da vida é uma escolha. Felizmente, temos aprendido com a vida as difíceis lições da liderança, para que possamos passar a sabedoria para os outros. Aqui estão sete sinais de alerta que precedem a falha na liderança:



1. Muita ocupação


Frequentemente, antes de cair, um líder se concentra tanto em sua agenda por um período prolongado de tempo que ele não tem tempo suficiente para renovação pessoal e descanso. Muita atividade não significa necessariamente produtividade do Reino. Quando uma pessoa está constantemente correndo de reunião em reunião, de estado em estado, e de evento em evento, sem buscar a Deus e os momentos pessoais para reflexão, ela faz violência à sua alma acabará operando somente com a força de vontade, como se fosse apenas uma fumaça, em vez do poder do Espírito de Deus. Isso pode levar à tentação de escapar da pressão da vida com relacionamentos adúlteros, pornografia, entretenimento excessivo ou empreendimentos tolos.


Atividades sem clareza também levarão a tomar más decisões. Quando estamos sempre com pressa, não temos tempo para processar as coisas, o que leva à falta de discernimento e a decisões desastrosas de liderança. Isso agravará ainda mais a pressão e criará mais trabalho para sair da bagunça criada. Às vezes, menos é mais!


Não estou dizendo que os líderes não devam estar muito ocupados ou ter muita responsabilidade. O que estou dizendo é que sempre deve haver tempo suficiente entre eventos e dias de reuniões para reflexão diária, oração e busca de Deus, para que nosso nível de discernimento seja alto. Devemos andar na graça e no poder de Deus para realizar Sua obra, em vez de nossa própria força de vontade.



2. Isolamento


Percebi que antes de cair, um líder evita o contato íntimo com seus colegas ou superiores, com pessoas que podem conversar, e que têm autoridade e/ou abertura para falar sobre suas vidas. Eles vivem uma vida de isolamento, o que é muito perigoso!


Por mais ocupado que eu esteja, há vários mentores e filhos espirituais a quem me abro, que me dão sugestões e orações; Estou sempre aberto a ouvir a voz de Deus através de suas orações ou exortações. Quanto mais responsabilidade tenho, mais comunhão preciso para me manter equilibrado, no caminho certo.


Também precisamos de relacionamentos íntimos para manter o nosso lado humano ativo. É muito fácil passar de uma reunião de negócios produtiva para outra, ou de um culto ungido para outro e sempre estar na frente de estranhos, multidões, ou com outros líderes que não nos conhecem bem. Não há comunhão real nessas configurações de relacionamento, mesmo no meio de uma multidão, podemos nos encontrar isolados. Pois no meio da multidão, um líder não é cobrado pelos liderados, ele não sente a necessidade de ser íntimo ou prestar contas de suas ações, pois o próprio líder é quem está no controle, dando a direção, liderando, falando, e sem perceber acaba se encontrando sozinhos no final do dia.



3. Negligência da família


Um líder está caminhando para uma queda quando não está passando tempo suficiente com o cônjuge e/ou família. Deus nos disse que não é bom que o homem esteja só. Contudo, é comum ver líderes assim hoje em dia, que viajam muito, que não mantêm contato regular com os cônjuges e que raramente passam algum tempo em casa. Estar com a família ajuda a manter um líder fundamentado. Sem isso, eles serão cercados por relacionamentos superficiais, se relacionando apenas à sua produtividade como um ministro ou empresário, onde sempre recebem elogios (geralmente de bajuladores), em vez de serem realmente pai, mãe, marido ou esposa que precisam constantemente esforçar-se por trabalhar arduamente na intimidade de seus relacionamentos familiares -

o que sempre foi plano de Deus para que nos mantivéssemos humildes e fundamentados. Um líder pode receber elogios de todos ao seu redor, mas o cônjuge realmente o conhece e dirá como é e o manterá em contato com a realidade!



4. Falta de autocontrole


Os líderes estão enfrentando problemas quando não exercem autodisciplina em comer e satisfazer seus prazeres. Se um líder não consegue controlar seus padrões alimentares, provavelmente isso se refletirá em um problema maior; isto é, eles estão se “medicando com comida” e provavelmente são vulneráveis a outras luxúrias da carne que lhes permitirão escapar das pressões da realidade. A obesidade é um pecado social que se tornou aceitável no Corpo de Cristo, apesar de Jesus nos advertir contra isso (Lucas 21:34).


Além disso, quando nós, como líderes, temos uma dieta ruim, isso começa a afetar nossa mente, emoções e espírito de maneira negativa. Isso cria lentidão e fadiga e obscurece nosso espírito com carnalidade. Muitos líderes morreram ou têm sérios problemas de saúde quando atingem os 40 e 50 anos devido a uma dieta pobre. Deus nos julgará se o encontrarmos prematuramente e perdermos metade de nossas vidas por causa da nossa falta de disciplina e obediência.



5. Secura espiritual


Os líderes estão enfrentando problemas quando não procuram Deus para encontrar Deus, somente orando e lendo a Bíblia quando precisam pregar ou ministrar. Pior do que a nossa falta de intimidade com o Senhor é o fato de estarmos apenas usando-O para ganhar a vida ou usando Sua Palavra para alcançar certos resultados. Por melhores que sejam os nossos resultados, nosso maior chamado na vida é conhecer e amar a Deus. Mateus 7: 22, 23 nos ensina que podemos ministrar para Deus efetivamente, e ainda falhar, se Ele não nos conhecer! Os líderes que apenas buscam a Deus para ter uma boa pregação têm um relacionamento profissional com o Senhor e, eventualmente, não terão a graça e o poder espiritual para lidar com todas as pressões do casamento, da vida e do ministério, que podem levar ao fracasso moral.



6. Orgulho


Líderes que amam títulos, posições, reconhecimento, constantemente se juntam a conselhos e se envolvem em grandes eventos - todos para obter destaque público - estão indo a caminho de uma queda, a menos que retornem. Quando nos exaltamos, Deus diz que nos humilhará (Lucas 14:11), e quem busca sua própria glória não encontrará glória (Provérbios 25:27).


Não estamos longe de cair quando tentamos nos elevar, promover a nós mesmos ou nos envolver em eventos sem ouvir o Senhor; somos então como os fariseus, que adoravam títulos, posições de destaque, saudações no mercado e que gostavam de ser chamados de líder, reverendo, bispo ou doutor (médico, advogado, especialistas) (Mateus 23: 6,7). Os líderes que já foram quebrados aprenderam a não criar nomes para si mesmos, divulgando suas realizações e criando uma hype em torno de si. Eles aprenderam que somente quando Deus exalta uma pessoa isso realmente dura (Salmo 75:6).



7. Usando pessoas x Capacitando-as


Quando os líderes usam as pessoas como objetos para seus negócios ou ministérios, em vez de ter uma motivação para capacitar as pessoas a cumprir seus propósitos - quando os líderes colocam programas sobre pessoas e tarefas à frente dos relacionamen-

tos -, eventualmente eles não terão ninguém por perto que seja leal ou

em quem eles podem confiar. Terão queimado muitas pontes atrás deles, porque, eventualmente, seus seguidores se cansarão deles e os abandonarão. Liderança é um caminho solitário para caminhar; os líderes, mais do que ninguém, precisam ministrar às pessoas com o coração de um servo. Quando os líderes entram no ministério com a atitude de serem servidos em vez de servirem a outros, desenvolvem uma mentalidade de direito que pode levá-los ao orgulho, à arrogância e, eventualmente, à destruição.


Que Deus ajude a todos nós que servimos ao Reino como líderes a nos gloriarmos somente em conhecê-Lo (Filipenses 3: 7-11; Jeremias 9: 23,24)! É somente seguindo o exemplo de Cristo e buscando servir aos outros que podemos evitar a inclinação de buscar poder para satisfazer nossas vontades e expandir a nossa própria influência.


Talvez depois de ler esse artigo você não considere que todos esses pontos estejam relacionados a você, mas preste bastante atenção aos que estão, e faça os ajustes necessários.


Shalom sobre sua vida!





Altomir Rangel

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Copyright © 2020 Ministério Internacional da Restauração.

Desenvolvido por Inspire MD

Visite nossas redes sociais.

  • Instagram
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube

Estrada da Ponta Negra, 5001 - Sto. Agostinho Manaus/AM - CEP: 69037-000

(92) 3233-3344 | (92) 3233-1110