fbq('track', 'AddPaymentInfo'); fbq('track', 'InitiateCheckout'); fbq('track', 'Lead'); fbq('track', 'ViewContent'); fbq('track', 'Purchase', {value: 0.00, currency: 'USD'});
top of page

UMA IGREJA NO MOVER DO ESPÍRITO SANTO - Parte 05




“Quem vive segundo a carne tem a mente voltada para o que a carne deseja; mas quem vive de acordo com o Espírito, tem a mente voltada para o que o Espírito deseja. A mentalidade da carne é morte, mas a mentalidade do Espírito é vida e paz.” (Romanos 8:5-6)

 

A maior dádiva que um ministério possui é ser dependente do Espírito Santo e viver a chamada que nos fora feita desde o início, pois se não tivermos essa posição no mundo espiritual não venceremos as batalhas que o século solicita. A igreja do primeiro século sobreviveu, por causa da dependência de Deus em tudo, e não porque sabia lidar com seus adversários.

 

Se não fizermos cursos intensivos com o Espírito não lograremos êxito nas nossas guerras. Existe uma inadimplência da igreja, em não treinar seus guerreiros para a batalha e, por essa razão, sofre os ataques do adversário. Minha esposa sempre diz: “Quando começamos o culto com guerra espiritual terminamos com paz, mas quando começamos com paz terminamos com guerra”.

 

É necessário aprender guerrear para não sermos alvo fácil do inimigo. “No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.” (Efésios 6:10-12)

 

Quando comecei meu ministério pastoral, vi que não poderia sobreviver sem conhecer as estratégias de guerra e saber lidar com principados e potestades, pois não se deve subestimar a força do inimigo; não se conquista territórios sem luta. Uma igreja que se move no Espírito não terá conquistas comuns, mas, com certeza, ampliará seu território com legitimidade.

 

Na vida diária, estamos sempre enfrentando uma batalha, seja de proporção pequena, mediana ou grande, elas existem, e nossa posição no campo de batalha é determinante para saber quem ganha e quem perde. Você entende essa verdade? Então tome as armas de guerra. “Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes. Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça; e calçados os pés na preparação do evangelho da paz; tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos.” (Efésios 6:13-18)

 

Percebi, ao longo do meu ministério, que os líderes que não arrefeceram na sua chamada nem saíram do flanco, estão em êxito e avançando sempre em campos novos, porém os que adormeceram na obra do Espírito estão murmurando e com perdas visíveis, por causa das suas fragilidades espirituais.

 

Em uma guerra não existe neutralidade, ou você ganha, ou você perde, não existe alternativa neutra, por isso precisamos colocar a mão no arado sem olhar para trás. “E Jesus lhe disse: Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus.” (Lucas 9:62)

 

Precisamos deixar que o Espírito nos guie, pois a missão dEle é nos orientar a toda verdade. “Mas, quando vier o Consolador, que eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito de verdade, que procede do Pai, ele testificará de mim. E vós também testificareis, pois estivestes comigo desde o princípio.” (João 15:26-27)

 

Continua...

1.490 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

コメント


bottom of page