fbq('track', 'AddPaymentInfo'); fbq('track', 'InitiateCheckout'); fbq('track', 'Lead'); fbq('track', 'ViewContent'); fbq('track', 'Purchase', {value: 0.00, currency: 'USD'});
top of page

M12 - Modelo de Jesus (Parte 2)


“Disse Jesus: Não fui eu que os escolhi em número de 12?” (João 6:70a)


Na linguagem bíblica ou na economia divina, 12 é Dõdeká, que quer dizer: Administrar com inteligência ou administrar de forma divina; ter autoridade para cuidar, orientar, guardar, proteger. 12 é uma evolução não só para identificar um número. Qualquer teólogo ou líder curioso, na sua chama de ensino ou aprendizado, sabe que 12 não é só um número.


Em hebraico, os números representam não só uma identificação, cada número é uma ação divina, como por exemplo:


Número 1 – Alefe é Yavéh – que quer dizer aquele que governa, administra, como um modelo correto, pois é o início de tudo e não pode começar errado.


Número 2 – Betaque quer dizer sabedoria, unidade e identifica a ação divina.


Eu creio que se o número 1 significa administrar e o 2 significa sabedoria, então a junção dos dois números, 1 e 2, ao formar 12, significa administrar com sabedoria. A evolução da economia divina diz que 12 representa Ser Modelo para Administrar com Sabedoria.


O Dõdeká é administração com sabedoria. Quando vemos e estudamos essa expressão, notamos que 12 significa administrar de forma divina. É uma outra forma de ver, ter um Modelo de Vida e influenciar com a mente transformada.


Dõdeká vem da raiz Dõdaké, produzir administração ou ensino, ou Didaké, que pode ser forma de ensinar corretamente. Os 12 (Dõdeká) foram chamados para administrar de forma correta, debaixo de um Modelo seguro. Os 12 têm uma unção de ensino, para formar líderes que respondam corretamente.


Jesus usou o Dõdeká, ensinou (Raboni) utilizando a dinâmica do Didaké (Ensino) e formou equipe para fazer exatamente o que produziu um resultado de explosão, em que eles transtornaram o mundo, e, ao mesmo tempo, manifestaram o manto de unção em libertação e cura, com sinais, prodígios, maravilhas e milagres. Como Jesus levantou a Sua equipe, o Dõdeká?



Primeiro: A chamada dos discípulos


Somos chamados! Que bom saber que por trás de uma ação da nossa parte para agradar o Messias há uma chamada poderosa que molda o caráter e leva o indivíduo a cumprir o propósito.


Deus tem um projeto. Chamou muitos discípulos, porém há uma escolha, recuso afirmar que é uma seleção, isso dentre os chamados. Deus levanta Sua equipe para responder o chamado que Ele fez, pois muitos são chamados, mas poucos escolhidos.

Penso eu, que isso se refere também à seleção da equipe, pois muitos estavam sendo seguidores de uma voz e não de uma pessoa, e quando Jesus desce do monte, escolhe, dentre a multidão de discípulos, uma Equipe de 12, o Dõdeká (Lucas 6:12). Isso para levantar uma equipe que pudesse fazer exatamente o que o Mestre mandou e trazer uma multidão de filhos e filhas, para que possam ser agentes de mudança de uma sociedade e tragam exatamente o que o Senhor sempre sonhou: filhos legítimos para o Pai.


Dõdeká é trazer de volta os filhos para Deus, dentro de uma administração correta, tomados daquela autoridade liberada por Jesus: “Mas recebereis o poder do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.” (Atos 1:8). Essa é uma missão dada aos Apóstolos, porém quem recebeu foram os 120 discípulos que estavam em conjunto, para formarem uma geração de homens e mulheres que raciocinem com a mesma ênfase da chamada.



Continua...


287 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page